Filed in Uncategorized

Novas entrevistas de Elizabeth

Para a divulgação de ‘Dead of Summer’, Elizabeth concedeu duas novas entrevistas: Uma à revista Nylon e outra, ao Promaxbda.

Leia:

Nylon

O acampamento de verão que você foi, foi o que você esperava?

Na verdade, eu fui a esse incrível acampamento de verão para atuação na North Carolina School of the Arts. Superou minhas expectativas. Me apaixonei por atuação lá, conheci uma das minhas melhores amigas, e acabei fazendo faculdade lá. Essa experiência não só me formou como atriz, mas como pessoa.

O que devemos evitar durante o verão?

Queimadura!

Onde você se encaixaria dentro de um filme de terror? Seria a primeira a morrer? Última?

Num filme de terror, acho que interpretaria a heroína e viveria até o fim, mas se fosse a vida real, eu morreria primeiro porque cairia ou tropeçaria.

Promaxbda

A atriz Elizabeth ganhou na loteria. Seu primeiro trabalho foi uinterpretando a versão live-action da Anna de Frozen em Once Upon a Time da ABC. Agora com Dead of Summer, da Freeform, dos criadores de OUATAdam Horowitz e Edward Kitsis, e Ian Goldberg, ela vai viajar aos anos 80 para uma série de terror à moda antiga.

Lail e eu conversamos sobre assustadores primeiros dias, animais de pelúcia, e viver a vida como se fosse anos 80.

Você foi à acampamentos quando criança? 

Fui uma vez só. Não sei por que não voltei, já que lembro de ter gostado muito. Mas eu era uma criança muito tímida. Demorei um tempo pra me enturmar.

Amy tem muito receio dos primeiros dias de acampamento. Qual foi o “primeiro dia” mais assustador que você já teve?

Provavelmente, o mais assustador e mais animador, foi meu primeiro dia no meu primeiro trabalho em Once Upon a Time. Foi assustador de forma emocionante. Nunca havia estado num set antes. Não sabia pra onde ir. Parecia que estava atrapalhando o tempo todo. Não sabia o que fazer comigo mesma.

Como é reencontrar Adam, Eddy e Elizabeth Mitchell?

É um sonho. Adoro Adam e Eddy e me inspiro em Elizabeth Mitchell. Quando ele papel chegou até mim, fiquei emocionada em ver seus nomes.

Você já era fã de terror?

Na verdade, não.  Nunca entendi direito por que você gostaria de se assustar. Eu assistiria algo assim se fosse Halloween ou tema de alguma coisa. Mas de forma alguma. Me assusto fácil.

Isso deve facilitar seu trabalho. 

Facilita. Sou naturalmente assustada.

Você praticou seu grito para o papel? Perdeu a voz?

Veio bem fácil essa coisa toda de gritar e correr assustada. Fiquei surpresa comigo mesma. Não perdi a voz, graças a Deus. Eu me aquecia e relaxava.

Sua primeira vez no set foi interpretando Anna de Frozen. Agora você é a protagonista em Dead of Summer. Tem sido dois anos bem agitados. 

Com certeza. Tem sido um sonho. Sempre me pergunto, o que tem sido minha vida? Quem imaginaria que isso aconteceria? Que é a parte maravilhosa de ser atriz. Existem todas essas surpresas.

Você sempre quis ser atriz?

Lembro de minha infância e percebo que sempre estive atuando. Era algo que fazia com minha irmã ou sozinha com meu animais de estimação. Aos 14 anos fiz minha primeira peça e continuei. Decidi aos 14 anos que seria atriz. Sem medo. Quando você tem 14 anos é claro que você pensa, aham, vou ser atriz.

Deu bastante certo pra você. 

Sou muito sortuda.

Que animais de pelúcia você tinha?

Eu tinha um incrível chamado Midnight, que era um gato. Levei alguns pontos um dia e Midnight foi animal de pelúcia que me fez passar por essa provação. Então esse foi o meu bicho de pelúcia número um quando eu era criança. Mas eu não queria ter favoritos. São as minhas histórias de introvertida. Isto é o que as crianças introvertidas fazem em seus quartos.

Eu era da mesma forma. Você leva o Midnight ao set?

Sabe, não. Levei ele pra faculdade e durante um tempo lá eu devo ter crescido, trouxe ele de volta pra casa e me desapeguei dele.

Qual sua coisa preferida sobre trabalhar numa série que se passa nos anos 80? 

O que gosto nos anos 80 é que não existem smartphones. Não mandamos mensagem na série e amo isso.

Você tem não usar seu celular no set? 

Sim. Nem uso, na verdade. Eu leio. Teve um dia que tentei andar usando um mapa no carro ao invés do GPS. Por que fiquei tipo, vamos fingir que estamos nos anos 80 e usar um mapa!

Você se perdeu ou deu certo?

Deu certo.

As pessoas eram mais independentes na época. 

Ficaríamos surpresos com o que podemos fazer sem os nossos smartphones. Eu tenho tentado não pesquisar no Google quando não me lembro de alguma coisa, porque você vai lembrar apenas respirar e esperar. Até agora, tem dado certo. Tenho ficado mais e mais longe do meu celular causa da série. É incrível. Isso é tão bom.

O que você anda lendo?

The Rules of Civility. Se passa na Manhattan dos anos 30. Mas tenho visto alguns livros no set e quero voltar e ler alguns livros de ensino médio dos anos 80 tipo Valley High.

Se você pudesse atuar numa série de TV, do passado ou presente, qual seria?

Friends.

Ótima escolha

Sou apaixonada por Friends.

Tem algum personagem que você gostaria de interpretar ou tanto faz?

Tanto faz. Poderia ser só oi e tchau que eu estaria feliz.

Você quer uma reunião de Friends?

Super topo. Vamos reunir todos eles.

Daí você poderia participar da reunião.

Sim. Gosto como você pensa. Seria meu dia mais assustador de verdade. Sitcoms são monstros totalmente diferentes.

Você gostaria de tentar comédia?

Sempre pensei que não sou engraçada. Sempre fui um tipo de atriz mais dramática. Então não sei. Eu estou disposta a me surpreender. Na esperança de me surpreender. Veremos.

Qual seu cereal  favorito?

Descobri o Muesli. Sei que tecnicamente não é um cereal mas você come como se fosse.

Se encaixa como cereal.

Amo muesli.

Via: 1 2

Tradução e adaptação por Elizabeth Lail Brasil – Não reproduza sem os créditos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *