51364675_312395082795034_6500507322965616146_n.jpg
ELBR024.jpg
51147014_749016675491589_6222705630279453658_n.jpg
51620472_848234008901889_2523265498597507598_n.jpg
51341655_586373558440602_7673187979161070677_n.jpg
50794044_2188667131217353_7186625656589722136_n.jpg
GALERIA ATUALIZADA DIARIAMENTE! Mais fotos
30
jan 2019
Entrevista  •  By  •  0 Comments

Via;
Tradução e adaptação por Elisa – Equipe ELBR;

O que você pensa sobre tantas mulheres romantizando Joe, apesar dele ser um perseguidor e assassino?
Acho que estamos programados dessa maneira. Eu inclusive. Com todos os rom-coms e contos de fadas que lemos, estamos programados para torcer pelo herói a qualquer custo, infelizmente. E assim, minha esperança é que essas mulheres percebam isso dentro de si; e pergunte a si mesmas: “Oh Deus, por que eu amo esse homem terrível?” Espero que eles reconheçam isso como um viés inconsciente (que está dentro da maioria de nós) e trabalhem ativamente contra isso.

Beck recebe muitas críticas por seu comportamento na série também… você acha que isso é justificado?
Nem todo mundo gosta de Beck porque ela é imperfeita; o que confunde minha mente às vezes porque eu realmente não acredito que você possa culpar a vítima. Nunca. Só porque ela não tem cortinas não significa que ela quer ser manipulada, capturada e controlada. As pessoas são muito duras com a Beck, mas eu sou sempre rápida em dizer que ela é a vítima nessa situação, e sim ela é imperfeita – todos nós somos. E suas imperfeições não são nada comparadas às de Joe.

Você esperava que a série despertasse uma conversa tão grande sobre fronteiras nos relacionamentos?
Enquanto eu estava trabalhando na série, Penn Badgley (o ator que interpreta Joe) e eu estávamos constantemente discutindo isso. Todos os dias no set nós ficávamos tipo, ‘isso é fascinante’ e ‘isso é tão verdadeiro para a vida’. Como você provavelmente sabe, não acaba bem para a mulher nesta história. Não é uma história que esperamos e, por isso, estou realmente feliz por estarmos provocando essas conversas na vida real das pessoas, talvez para ajudá-las a reconhecer o preconceito inconsciente dentro deles, e perceberem a toxicidade masculina quando a virem.

Você acha que as pessoas podem usar as mídias sociais de maneira diferente depois de assistirem YOU?
YOU faz um bom trabalho em mostrar um espelho da nossa sociedade atual, que é onde podemos simplesmente pegar uma pequena máquina e descobrir um monte de informações sobre alguém que mal conhecemos. E então fazemos todas essas suposições sobre essa pessoa (que nunca são realmente verdadeiras). Eu espero que a série faça as pessoas pensarem “woah, eu acabei de perseguir essa pessoa – o que estou fazendo com a minha vida?” Eu inclusive! Eu estou incluída nisso.

Você mudou a maneira de usar o Instagram?
A ironia é que eu posto mais no Instagram agora do que antes. Mas eu vou dizer, eu posto fotos de meses atrás – sejam elas recentes ou de muito tempo atrás. Então, sinto que você nunca sabe onde estou, porque minhas fotos são de todo o mundo. Na minha vida dos sonhos, não há Instagram. Então eu participo [no aplicativo] de uma forma que estou disposta a fazer naquele dia, naquele momento. Mas eu não acho que estarei no Instagram a vida toda. Mas eu gosto; aprendo muito com ele. Eu fiz a curadoria de quem eu sigo. Então eu sigo apenas pessoas que me fazem sentir bem, como Erin Ireland (@erinireland), que é uma blogueira de culinária vegana que mora no Canadá e eu sigo outra mulher chamada Spirit Daughter (@spiritdaughter), e ela sempre coloca citações inspiradoras que alinhada com o ciclo da lua. Eu também sigo muitos blogs de viagens, como @TheOcean e National Geographic (@natgeo), você sabe, coisas que me inspiram e mulheres bonitas que me inspiram – que não me fazem sentir mal comigo mesma (o que é muito fácil acontecer no Instagram, infelizmente).

Como você lida com a pressão de ser uma celebridade?
Eu estou em um lugar onde não sinto toda essa pressão (ainda). Eu ainda saio da minha casa sem maquiagem ou cabelo arrumado; muito casual. Como atriz, é difícil porque somos constantemente confrontados com nossa própria auto-imagem. Então o que eu faço quando não estou trabalhando é tentar cultivar muito amor-próprio, porque uma vez que você está em um emprego, você acaba se olhando duas horas por dia enquanto alguém faz você parecer melhor do que você… e isso pode prejudicar a psique. Então, essa pressão, eu meio que aceitei… porque não há nada que eu possa fazer com isso. Eu joguei isso no universo, e eu estou apenas fazendo o meu melhor para permanecer fiel a mim mesma e permanecer na minha verdade pessoal.

Alguma história engraçada da vida no set de YOU?
Bem, eu e o Penn estávamos rindo constantemente, porque ele é muito engraçado. Não havia grandes brincadeiras, mas com as garotas, nós constantemente cantávamos trilhas musicais de teatro (bem, pelo menos algumas de nós). Shay Mitchell (que interpreta Peach) e Penn odeiam teatro musical – então uma coisa que sempre fazíamos quando eles estavam por perto, era cantar as músicas e dançar porque nós simplesmente amamos irritá-los. Para eles, o teatro musical é tudo igual, e havia visto o musical Waitress recentemente, então eu cantava Waitress constantemente.

Qual personagem da série você diria que é mais parecida na vida real?
Umm, talvez Ethan [risos]. Quero dizer, eu definitivamente tenho algumas semelhanças com Beck, mas apenas de um jeito bem superficial. Como nós duas vivendo em Nova York e sendo artistas. Mas eu não sou realmente como ela; eu acho que minha auto-estima é maior e eu não passo por tantos problemas quanto ela. E o Ethan é tão feliz e engraçado, e ele lê muito. Ele é fofinho e ele é um dos poucos personagens que não tem grande defeito. Todos os outros podem ser bem escandalosos!

Vimos a jornada de Beck chegar ao fim na primeira temporada, então, quais são seus planos para 2019?
Eu tenho algumas coisas prontas, mas nada que eu possa falar agora. Você tem que esperar e ver…

Leave a Reply