Elizabeth Lail Brasil

 

Sean Cullen fala sobre trabalhar com Elizabeth em ‘Unintended’

Matéria via;
Tradução e adaptação por Elisa – Equipe ELBR;

É hora de Hollywood vir ao Hudson Valley mais uma vez – Unintended, um novo drama psicológico filmado aqui no Condado de Ulster em junho do ano passado, fará sua estréia mundial no Rosendale Theatre no sábado, 13 de outubro, às 10 da manhã como parte do Woodstock Film Festival.

O filme apresenta membros do elenco da região e foi filmado em locais da área, incluindo o Hunt Memorial Building de Ellenville. O gerente de produção, Patrick Eaton, disse no ano passado durante as filmagens, que estar em Ellenville era como estar de férias. “Aqui, todo mundo está se acomodando”, disse ele. “E esta vila, Ellenville, é o cenário perfeito para a história de uma garota que volta para casa. É um cenário pitoresco com uma torre de igreja branca e uma montanha ao fundo, além de ter uma grande vibração sobre isso. ”

O filme, também filmado no Peters Market em Napanoch, Minnewaska, e a Mina Widow Jane, de Rosendale, conta a história de Lea (Elizabeth Lail) de 24 anos que retornou à área depois de doze anos. Nas memórias de seu último dia no norte do estado de Nova York, Lea (Hannah Westerfield), de 12 anos, lembra de ter sido incitada a atirar em um amigo de 14 anos, Bill (Jay Jay Warren). Ela se lembra de ter visto Bill cair no poço de uma mina. Bill morreu? Se sim ou não, quais serão as consequências?

“A história”, disse a roteirista/diretora não Anja Murmann, em uma entrevista por telefone, “veio de muitos lugares. Basicamente, eu queria escrever uma história sobre uma garota que reprime um grande trauma e então decide que ela está pronta para voltar e enfrentar quaisquer consequências”.

Nos dois anos em que Murmann escreveu o roteiro, ela diz que a história mudou muito. “O final foi especialmente alterado”, disse ela. “Mas eu não vou te contar como, até que você veja o filme no sábado.”

No filme, doze anos depois de deixar o norte de New York, Lea vive confusa na cidade de Nova York viciada em remédios controlados e cheia de memórias reprimidas. Seu pai, sem saber do suposto tiroteio, decide que uma visita de retorno a locais de infância teria efeitos positivos para Lea e a leva. Confrontada com pessoas, especialmente Sam (Sean Cullen, um ator local), um tio substituto Lea tanto nova quanto mais velha, ela retorna para a mina onde o tiroteio ocorreu… na Mina Widow Jane.

Sean Cullen, protetor

Sean Cullen, que interpreta Sam, disse em uma entrevista por e-mail que é o maior papel no cinema que ele teve até hoje. (Cullen apareceu no indicado ao Oscar ‘Michael Clayton’, com George Clooney, e seus próximos lançamentos incluem Paterno, da HBO, com Al Pacino e DeLorean, da Universal, com Alec Baldwin.)

Ele disse que ele e Elizabeth Lail eram, de certo modo, recém-chegados ao mundo do cinema, mas que “trabalharam bem e facilmente juntos, junto com a diretora Anja Murmann. Foi realmente uma alegria”, disse Cullen. “Muito criativo. Muito colaborativo.

“Para Sean”, disse Murmann, “o papel que ele desempenhou nesse filme provavelmente foi muito diferente de qualquer outro que ele tenha interpretado no passado. Mas as pessoas amam o personagem de Sam. Ele é o protetor.”

Cullen, que vive em Kerhonkson com sua esposa e sua filha pequena desde 2010, disse que seu personagem, Sam, era o tio substituto de Lea. Quando Lea saiu da região com seus pais, foi um revés emocional total para Sam. “Lea tinha apenas 12 anos quando saiu da cidade”, disse Cullen, mas doze anos depois “Sam ainda tem essas emoções, não muito enterradas, quando a Lea de 24 anos retorna”.

“Lea foi à procura de Sam ao voltar”, disse Murmann, “e ele está chocado com o que ela se tornou e tem dificuldade em se adaptar.”

Adicionando sal e pimenta

“Elizabeth e eu”, Cullen disse, “fazíamos nossa primeira cena em particular e então Anja fazia as mudanças, com a direção dela. Nós a chamamos de “adicionar de sal e pimenta”. Anja vinha com seus fones de ouvido, de onde quer que ela estivesse assistindo no monitor, e nos direcionava. Então Elizabeth e eu tínhamos algo novo para fazer no próximo take. E continuou, assim mesmo. Muito simples, muito comprometido, muito confiante. E muito fácil.”

“Fomos a fundo em Sam”, disse Murmann. “Ele tem sua própria história sombria, incluindo uma esposa e um filho mortos há muito tempo. Às vezes, considerar uma perspectiva diferente da personalidade de um personagem ou considerar o ponto de vista de outra função pode guiar ou direcionar os atores”.

“Para mim, 2017 foi um sonho”, disse Cullen. “Entre os três trabalhos que que fiz em Shadowland Stages e Unintended, nada foi além de 45 minutos de casa!”

Murmann apreciou o condado de Ulster e Rosendale. “Fiquei impressionada com a grande beleza da área e tentei mostrar isso e a gentileza dos habitantes locais no filme”, ​​disse ela.

Cullen disse: “É um milagre conseguir trabalho de qualquer tipo, na verdade, como a maioria dos atores lhe dirá. Mas esse milagre particular para mim foi um pouco mais importante. E então, trabalhando com a diretora Anja Murmann e a produtora Sabine Schenk… Foi uma ótima colaboração. Muito divertido. Ótimos atores. No sábado, vamos ver como tudo ficou.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *